Quarta-feira, 19 de dezembro de 2018
PESQUISAR NO SITE
04/12/2018 | 06:38 | Notícias | Agrícola

Vacinação contra febre aftosa é prolongada no RS

A prorrogação foi solicitada pela SEAPI devido a falta da vacina no comércio agropecuário, em diversas regiões do Estado. Nem mesmo as distribuidoras do RS tinham o produto disponível para comercialização. Os pecuaristas têm prazo até o dia 10 de dezembro para imunizar o rebanho.

Segundo Grazziane Rigon, coordenadora do Programa de Combate à Febre Aftosa no RS, o desabastecimento ocorreu devido às modificações que ocorrerão com o produto para o ano que vem. Com isso, as agropecuárias compraram pouca vacina, temendo ter que se desfazer de estoques que não terão mais validade em 2019.

Mudança na dosagem

Para reduzir as reações provocadas pela vacina, como nódulos e inflamações no local da aplicação , o Ministério da Agricultura reformulou o produto para 2019, que inclui a alteração do volume a ser aplicado de 5 para 2mL.

Vacina é obrigatória até 2021

A coordenadora do Programa de Combate à aftosa ressalta a importância da vacinação para proteção do rebanho gaúcho e explica que o Ministério da Agricultura tem um planejamento para evolução do status sanitário do Brasil, que prevê a retirada da vacina no Rio Grande do Sul em 2021.

Nesta etapa, o Estado já possui registro de vacinação de 60% do rebanho. Esse número deve ser maior, porque os pecuaristas tinham até o dia 07 de dezembro para comprovar a vacinação. Com a ampliação do prazo para realizar a imunização até o dia 10 de dezembro, a comprovação também se estende e se encerrará no dia 17.

Foto: Fernando Dias

Fonte: No Ar Notícias