Terça-feira, 25 de setembro de 2018
PESQUISAR NO SITE
08/03/2018 | 09:34 | Notícias | Trânsito

Ambulância se envolve em acidente na BR 287 Jaguari

Uma ambulância do município de Santiago, se envolveu em um acidente de trânsito, volta das 6h20 desta quinta-feira (9), quando retornava de Santa Maria, com um paciente, no km 357 da BR 287, na localidade conhecida como Chapadão.
Conforme os agentes da PRF – Polícia Rodoviária Federal, a ambulância, colidiu na traseira de um caminhão, sendo que o motorista, de 45 anos, ficou preso nas ferragens e foi resgatado pelos Bombeiros e SAMU de Santiago. O condutor apresentou fratura exposta em uma das pernas e relatou que dormiu no momento do acidente, sendo conduzido ao Hospital de Santiago.

O caminhão envolvido, da cidade de Nova Esperança do Sul, teve danos apenas na traseira, e o condutor não sofreu lesões.
Mulheres têm menos multas e se envolvem menos em acidentes
Elas são mais prudentes e mais cuidadosas. O que as seguradoras há anos levam em conta para calcular o valor do seguro de veículos para mulheres continua valendo no Rio Grande do Sul. As mulheres representam hoje 34% do cadastro de condutores no Estado, mas foram responsáveis por somente 27% das infrações de trânsito em 2017. Apesar de serem mais da metade da população, representaram 21% das mortes em acidentes de trânsito, a maioria das vezes no papel de passageiras/caronas (49%) ou pedestres (32%). O levantamento que analisa um período de 11 anos foi feito pelo DetranRS para este Dia Internacional da Mulher.

De 2007 a 2017, a participação das mulheres no papel de condutoras passou de 27% para 34% do total. Hoje elas são 1,7 milhão de habilitadas para dirigir carros, motos, caminhões, ônibus, tratores e todo tipo de veículo automotor. Mas as duas rodas vêm ganhando a preferência das gaúchas. Elas já são 41% dos habilitados na categoria A (em 2007 eram 22%).

Infrações

Embora tenham aumentado sua participação como responsáveis pelas infrações no período, as mulheres ainda são minoria entre os motoristas flagrados desrespeitando as leis de trânsito. Em 2007, elas eram responsáveis por 21% do total de infrações registradas no Rio Grande do Sul. No ano passado, essa proporção aumentou para 27,4%, mas ainda bem abaixo da representação das mulheres no cadastro de condutores (34%). As infrações mais flagradas de motoristas mulheres são excesso de velocidade e estacionamento em local proibido.

Acidentes

A estatística não permite apontar responsabilidades nos acidentes de trânsito, mas o perfil das vítimas pode dar uma ideia de quem está envolvido nas ocorrências com morte. Nos onze anos analisados, as mulheres foram 21% dos mortos no trânsito (4,4 mil do total de 21 mil mortos). Somente em 10% dos casos estavam na condição de motoristas e 5% na condição de motociclistas. Na grande maioria dos casos (84,9%) elas estavam como caronas, de bicicleta ou andando a pé.

O diretor do DetranRS, Ildo Mário Szinvelski, não se surpreendeu com os dados. “Precisamos aprender com as mulheres, entre tantas outras coisas, a dirigir. Se a frase machista ‘só podia ser mulher’ fosse aplicada teríamos um trânsito mais harmônico, com menos mortes e menos acidentados nos hospitais. Nesse dia 08 e em todos os outros, inspire-se nelas: dirija como uma mulher.”
 

Fonte: PRF - Polícia Rodoviária Federal